OBJETIVO GERAL


OBJETIVO GERAL:
Evangelizar a partir de Jesus Cristo e na força do Espírito Santo, como Igreja discípula, missionária, profética e misericordiosa, alimentada pela Palavra de Deus e pela Eucaristia, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, para que todos tenham vida (Jo 10,10), rumo ao Reino definitivo.


quarta-feira, 23 de julho de 2014

Mensagem de Dom Carlo Ellena ao Bispo nomeado para Zé Doca: Bem-vindo Dom João Kot

“Que alegria quando ouvi que me disseram...” o Papa escolheu e nomeou o novo Bispo da Diocese de Zé Doca na pessoa do sacerdote Padre João Kot. “Como são belos os pés do mensageiro que anunciam a paz...” nas terras do Maranhão, na Diocese de Zé Doca.

Os pés dos mensageiro podem até andar semeando no sofrimento e nas lagrimas, mas certamente ceifarão na alegria. No domingo 13 de julho, a Palavra de Deus trazia para a nossa reflexão a parábola do Semeador e, consequentemente, da semente jogada abundantemente no terreno e recebida em diferentes terrenos. Por isso ela produz frutos em porcentagens diversas. Também a nossa Diocese é terreno muito diversificado: nele há terreno duro e impermeável; há terreno com muitas dificuldades e espinhos que sufocam a Palavra de Deus; há terreno que rejeita ou vive uma experiência religiosa muito superficial; mas há muito terreno bom, de qualidade; há muitos corações sedentos e esperançosos, prontos a receber e fazer crescer multiplicando a Palavra de Deus. O senhor é o Semeador, que traz a semente da doutrina de Cristo e dos Apóstolos. Bem-vindo!

A notícia da sua nomeação, Dom João, como novo Bispo da Diocese de Zé Doca, estava aguardada, esperada e, ao ser comunicada oficialmente, se espalhou pelas Paróquias e pelos Povoados da nossa Diocese com a rapidez dos ventos que, hoje, chamam-se “meios de comunicação”. Soltamos foguetes e tocamos os sinos em alegria e agradecimento ao Bom Deus.

O senhor sabe que eu, bispo (agora administrador), os Padres, os Religiosos, as Religiosas e todo o povo da nossa Diocese de Zé Doca o estávamos esperando desde o ano passado. Na espera rezamos bastante: foi verdadeira vigília cumprida de espera.

Por isso a nossa alegria é ainda maior, porque o novo sucessor dos Apóstolos foi nomeado pelo Papa Francisco e porque o escolhido é o senhor.

As notícias, que chegam, são extremamente positivas e nos alegram muito. Achamos que, mais uma vez, o Espírito Santo, através do Papa Francisco, fez uma “obra prima”.

A nossa Diocese é bastante extensa. São 20 os Municípios numa área geográfica de 35.100 Km²: parte deles (cinco: de Cândido Mendes até Amapá do Maranhão) estão na região do Litoral; outra parte (onze) estão ao longo dos 230 Km da BR-316 (de Bom Jardim até Boa Vista do Gurupi) e 3 (Centro Novo, Centro do Guilherme e São João do Caru) estão na região da mata (entre 22 a 100 KM adentro). Somente um Município ainda não é sede paroquial, enquanto a sede da Diocese (Zé Doca) tem duas Paróquias.

Ao todo contamos com 20 Paróquias, algumas com a presença também de Religiosos ou Religiosas, e 3 ainda desprovidas de assistência religiosa permanente por falta de Sacerdotes.

Mas temos dois Seminários funcionando (o Menor em Zé Doca e o Maior em São Luís do Maranhão) com uma presença relativamente boa de jovens: destas “sementeiras” aguardamos os próximos operários para a messe do Senhor (350.000 habitantes e mais de 10.000 indígenas) que está presente na Diocese de Zé Doca.

Não adianta dizer que aqui tudo vai às mil maravilhas: não é bem assim. Somos uma Diocese pobre, que ainda depende de ajudas de Igrejas do exterior, exemplos de caridade cristã; o nosso povo é bom, religioso e acolhedor; a frequência é apenas regular, mas a boa vontade é tanta.

Os problemas que mais sentimos são: falta de padres e agentes pastorais; falta de empregos; a educação é ainda faltosa; a assistência sanitária está ainda engatinhando; a infraestrutura (condições das ruas, do trânsito, atendimento em geral...) e a ausência dos poderes não ajudam o nosso povo. Mas isso é endêmico na nossa região e não apenas nela.

Por isso o nosso bem-vindo, Dom João. Não vai faltar trabalho. Os dons de que mais precisamos são os das suas forças físicas, morais e religiosas e da sua juventude contagiante. Pode contar com o “time” de colaboradores (padres, religiosos/as, animadores, catequistas e grupos pastorais) prontos para serem o prolongamento de suas mãos, a constância de seu passo, o amor que transmite o seu amor a todos.

Com muita alegria estamos prontos e ansiosos para lhe entregar o báculo de Bom Pastor. Lhe acompanharão sempre as nossas orações e o desejo de muitos sucessos nesta bonita e querida terra da Diocese de Zé Doca.

Atenciosamente


+ Dom Carlo Ellena
Bispo administrador apostólico


Nenhum comentário:

Postar um comentário