OBJETIVO GERAL


OBJETIVO GERAL:
Evangelizar a partir de Jesus Cristo e na força do Espírito Santo, como Igreja discípula, missionária, profética e misericordiosa, alimentada pela Palavra de Deus e pela Eucaristia, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, para que todos tenham vida (Jo 10,10), rumo ao Reino definitivo.


terça-feira, 19 de agosto de 2014

AOS JOVENS... ESTOU ORGULHO DE VOCÊS

Ao passar de sexta-feira 15 de agosto para sábado 16 de agosto, lá pela meia noite e meia, a Catedral de Zé Doca estava lotada de jovens – mais ou menos 500 – vindos de todas as Paróquias da Diocese. Fora da Catedral os ônibus enfileirados, as Vans, os micro-ônibus (nem sei quantos…) prontos para sair rumo a Balsas, Sul do Maranhão. Todas as Paróquias estavam representadas; os Padres na direção; os amigos abraçando os amigos e fazendo novas amizades, Um espetáculo impressionante e que nunca tinha acontecido. Já pensou? Nas metade da noite, quando o sono é gostoso, os jovens na Igreja. E atentos, aliás atentíssimos.


O que estava acontecendo?
Eles estavam de saída para a Cidade de Balsas, onde aconteceria na tarde e na noite de sábado para domingo e domingo pela manhã a Romaria da Juventude do Regional Nordeste 5 (jovens vindos de todas as 12 Dioceses do Maranhão). O ponto de encontro para os jovens da nossa Diocese foi marcado em Zé Doca e, antes da saída, fizeram questão de se encontrar na Catedral para uma bênção de “envio”.

Eu, Dom Carlo, fui avisado e chamado e… estava presente.
Aceitei de dizer algumas palavras aos jovens reunidos: talvez eles esperassem apenas uma bênção, mas eu arrisquei e os desafiei. Me escutaram atentos. Fiz, na hora, a tradução de uma mensagem do Papa Francisco a 30.000 jovens alemães nos dias passados. Achei que era oportuna e interessante para os meus jovens também. Quero até colocar aqui as palavras do Papa que falei naquela noite.
“Vocês se perguntam o que podeis fazer para se tornar mais protagonistas na Igreja e o que a comunidade cristã esteja esperando de vocês.
Antes de todo lembremo-nos que o mundo precisa de pessoas que deem testemunho aos outros de que Deus nos ama, de que Deus é nosso Pai. Na sociedade todos os indivíduos têm a tarefa de se colocar ao serviço do bem comum, oferecendo as coisas necessárias para a existência: alimentação, roupa, curas médicas, instrução, formação, justiça…
Nós, discípulos do Senhor, temos uma missão a mais: aquela de sermos ‘canais’ que transmitem o amor de Jesus. E nesta missão vós, moças e rapazes, têm um rol particular: vocês são chamados a falar de Jesus aos vossos coetâneos, não apenas aos de dentro da comunidade paroquial ou do vosso grupo, mas sobretudo aos de fora. Este é um compromisso reservado sobretudo a vocês porque com a vossa coragem, o vosso entusiasmo, a espontaneidade e a facilidade do encontro podeis chegar mais facilmente à mente a ao coração dos que se afastaram do Senhor.
Muitos jovens da vossa idade têm uma imensa necessidade de que alguém, com a própria vida, lhes diga que Jesus nos conhece, que Jesus nos ama, que Jesus nos perdoa, partilha conosco as nossas dificuldades e nos sustenta com a sua graça.

Mas, para falar aos outros de Jesus, precisa conhecê-lo, amá-lo, fazer experiência dele na oração, na escuta da palavra dele…. O Senhor chama a cada um de vocês a trabalhar na sua roça; ele chama vocês para ser jovens alegres e protagonistas na sua Igreja, prontos para comunicar aos vossos amigos o que ele vos comunicou, especialmente a sua misericórdia….
A nossa vida é feita de tempo e o tempo é dom de Deus: por isso tem que ser usado em ações boas e frutuosas. Talvez tantos jovens percam horas demais em coisas fúteis: o ‘chattar’ na internet ou nos celulares, as ‘telenovelas’, os produtos do progresso tecnológico, que deveriam simplificar e melhorar a qualidade de vida, mas que, às vezes, tiram a atenção do que é realmente importante. Entre as tantas coisas a fazer na nossa rotina quotidiana, uma das primeiras seria a de se lembrar do nosso Criador que nos dá de viver, que nos ama, que nos acompanha no nosso caminho.
Mesmo porque Deus nos criou à sua imagem, recebemos dele também aquele grande presente que é a ‘liberdade’. Se, porém, non for bem usada, ela pode nos conduzir longe de Deus, pode nos fazer perder a dignidade da qual ele nos revestiu.
Por isso são necessárias orientações, indicações e também regras, tanto na sociedade quanto na Igreja, para nos ajudar a fazer a vontade de Deus, vivendo assim segundo a nossa dignidade de homens e de filhos de Deus. Quando a liberdade não é vivida segundo o Evangelho, ela pode se transformar em escravidão: a escravidão do pecado, quer dizer no mal uso da liberdade…
Queridos jovens, não usem mal a vossa liberdade! Não estraguem a grande dignidade de filhos de Deus que vos foi dada! Se seguirdes Jesus e o seu Evangelho, a vossa liberdade desabrochará como uma árvore em flor e dará frutos bons e abundantes. Encontrareis a alegria autêntica, porque ele nos quer homens e mulheres plenamente felizes e realizados. Somente aderindo à vontade de Deus podemos fazer o bem e ser luz do mundo e sal da terra”.
Os jovens presentes bateram até palmas, não a mim e sim às palavras do Papa. Tive a impressão e a certeza, naquele momento, que a Romaria estava começando bem e com entusiasmo; que os jovens da Diocese de Zé Doca estavam saindo preparados e com boa vontade para levar algo de bom aos outros jovens lá em Balsas.

Depois destas palavras todos receberam a bênção de Deus para uma viagem feliz, sem tropeços e uma volta serena… e o coração carregado de coisas boas a serem transmitidas aos amigos e às amigas que não puderam participar da Romaria.
Volto a repetir: jovens da Diocese de Zé Doca, eu estou orgulhoso de vocês e espero grandes coisas. Se alguém está ainda cochilando… acorde. Este é o tempo e a hora. Um abraço.

+ Dom Carlo Ellena
Bispo Emérito da Diocese de Zé Doca

Nenhum comentário:

Postar um comentário