OBJETIVO GERAL


OBJETIVO GERAL:
Evangelizar a partir de Jesus Cristo e na força do Espírito Santo, como Igreja discípula, missionária, profética e misericordiosa, alimentada pela Palavra de Deus e pela Eucaristia, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, para que todos tenham vida (Jo 10,10), rumo ao Reino definitivo.


segunda-feira, 28 de setembro de 2015

CAVALGADA NA ABERTURA DO FESTEJO DO POVOADO LIMÃO – CENTRO NOVO DO MARANHÃO

A Paróquia São Pedro Apostolo no município de Centro Novo tem como principais comunidades do interior os povoados Limão e Chega Tudo, que são comunidades até mais antigas do que Centro Novo. 

A Comunidade do Limão (10 km da sede) tem como padroeiro São Francisco de Assis e neste dia 26 de Setembro do corrente ano teve a abertura do festejo com uma cavalgada, saindo de Centro Novo até a comunidade.

Esta cavalgada contou com a presença de muitos criadores, não apenas de Centro Novo, mais também de Centro do Guilherme e Maracaçumé, e teve inicio às 06:00 hs onde percorreu as principais avenidas de Centro Novo e após partiram rumo ao povoado Limão. Ao chegarem na capela do povoado, todos os cavaleiros e amazonas foram abençoados por Padre Nunes que já estava na comunidade esperando a todos.


Após a benção houve a Missa com todos os presentes e após churrasco, leilão e bingo de um boi. Segundo o professor Raimundo João (da comissão organizadora), o festejo começou com o pé direito com esta cavalgada e apesar de ser um festejo de uma comunidade pareceu o festejo de uma cidade grande. 

Já Padre Nunes, afirma: “a comunidade do Limão está de parabéns com esta iniciativa que nós apoiamos e marcamos a presença da Igreja que cada dia se fortalece nestas nossas jovens paróquias da nossa Diocese e só temos a agradecer a todos. E viva São Francisco de Assis!” 




quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Chegada de Dom João a nossa Diocese de Zé Doca está prevista para hoje

Depois de quase dois meses ausente de nossa Diocese de Zé Doca, nosso bispo, Dom João Kot está retornando a sua casa e seu pastoreio, e nós como povo de Deus desta Diocese, ansiosamente, aguardamos a chegada de nosso pastor. Neste período em que ficou ausente (fisicamente) de nossa Diocese, Dom João visitou sua terra natal, seus familiares, participou do Encontro de Reflexão para Novos Bispos realizado no Vaticano e promovido pela Congregação para os Bispos, visitou e celebrou a Santa Missa no Túmulo de São Pedro e se encontrou com o Santo Padre, o Papa Francisco. 

A chegada de Dom João está prevista para hoje (dia 23) no inicio da tarde.

Acolhemos, então, o nosso bispo dizendo: SEJA BEM VINDO, DOM JOÃO! 

Bem Vindo Dom João! Bem vindo Dom João! 
Nosso povo te acolhe com amor.
Bem Vindo Dom João! Bem vindo Dom João! 
Zé Doca te acolhe com amor...
(Hino em acolhida a Dom João Kot)




terça-feira, 22 de setembro de 2015

Círio de Nossa Senhora de Nazaré 2015 é realizado em Luís Domingues

No último domingo (20), a Paróquia São João Batista em Luís Domingues celebrou uma das festa  mais bonitas de nossa Diocese, o Círio de Nossa Senhora de Nazaré, que é celebrado anualmente no 3º Domingo de Setembro. Este ano o Círio teve como tema: MARIA DOM DE JESUS E INSPIRAÇÃO CRISTÃ

Como preparação para este dia de festa, foram realizadas romarias, novena nas famílias, peregrinação da imagem de Nossa Senhora de Nazaré nas comunidades, dentre outras celebrações.

Como de costume participaram também peregrinos de outras cidades de nossa Diocese e de outros Estados. Participaram ainda, vários padres de nossa diocese, dentre eles: Pe. Alvelino, Pe. Nato, Pe. Brito, Pe. Cosmo, Pe. Erenaldo e Pe. Romildo, pároco de Luís Domingues.





RESUMO DA HISTÓRIA DO CÍRIO

Iniciou em 1954, através do sonho do Sr. Floriano Catarino Matos, um Paraense que o destino fez Maranhense de coração, teve a feliz ideia de homenagear a Virgem de Nazaré, como fazem em sua terra natal, a festa do Círio, em Belém. Com o apoio de sua esposa dona Dolores Matos e de dona Bibi Lopes, transformaram aquele sonho em realidade. Escolheram o 3º Domingo de Setembro daquele ano e fizeram a primeira Romaria pelas ruas da então Vila de Luís Domingues.

A festividade do CÍRIO DE NOSSA SENHORA DE NAZARÉ, é comemorada há 61 anos, com apoio incondicional das autoridades e família Luís Domingues, e de todas as coordenações constituídas. O número de participantes aumenta a cada ano, graças aos romeiros e caravaneiros de Belém, São Luís, Bragança, e de outras cidades deste imenso Brasil, que propagam a festa e a hospitalidade que recebem do nosso povo.

As alegorias tradicionais: Berlinda, Flores, Manto, Corda, Liturgia, Barca de Marujos, Anjos e Personagens Históricos do Cristianismo e a Corda que puxa a Berlinda com a imagem da Santa, tem um significado todo especial: O povo quer pelo menos tocá-la para ligar a sua fé a Virgem de Nazaré.


Informações: Pe. Manoel Romildo e Eraclimar Carvalho



























segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Encontro Diocesano do Dízimo é realizado em Santa Luzia do Paruá

Com o Tema; Dízimo sinal de Fé e Gratidão foi realizado no dia 19 de setembro um Encontro Diocesano do Dízimo em Santa Luzia do Paruá com 95 participantes vindo de 14 Paróquias de nossa Diocese de Zé Doca, sendo elas: São João do Carú; Bom Jardim; Catedral de Santo Antônio; La Salle; Araguanã; Nova Olinda; Santa Luzia do Paruá; Centro do Guilherme; Maranhãozinho; Maracaçumé; Boa Vista do Gurupí; Amapá do Maranhão; Carutapera; Cândido Mendes.

Os trabalhos foram iniciados com uma oração preparada pela paróquia anfitriã. Em seguida foi apresentado Abraão como o primeiro dizimista da história do povo de Deus. A coordenação do Dizimo apresentou sete chaves do dízimo propostas pelo livro de Pe. Jerônimo Gasques.


Durante o encontro, as 14 paróquias presentes relataram os trabalhos do dízimo com suas experiências, dificuldades e esperanças. Com isso, ficou claro que o nossos trabalhos estão melhorando a cada dia, e estamos aos poucos passando de equipes do dízimo para Pastoral do Dízimo, mas precisamos avançar muito mais. 

Na parte da tarde foram feitos estudos bíblicos que trouxeram muita luz para nossos trabalhos do Dízimo. Foram entregues para as paróquias folhetos do dízimo para divulgação e esclarecimentos nas missas e encontros. Também foram distribuídos certificados de gratidão a ser entregue pelos padres para os coordenadores paroquiais do dízimo.  Destacamos, ainda, a participação dos padres: Francisco Morais, Reginaldo, Erenaldo, Pedro Eduardo, Nato, Brito, Máximo, Saris e Valdeci. 

Agradecemos a Deus pela realização deste encontro, pela presença dos participantes e da Paróquia de Santa Luzia que nos acolheu.
Grande abraço. Coordenação Diocesana do Dízimo. 

Informações: Coordenação Diocesana da Pastoral do Dízimo










Fotos: Lúcia Dias


sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Novos bispos participam de encontro no Vaticano

Os bispos ordenados nos últimos doze meses estiveram no Vaticano, de 7 a 16 de setembro, para participar do Encontro de Reflexão para Novos Bispos. O evento foi promovido pela Congregação para os Bispos. Do Brasil, participaram 16 prelados. 

O encontro foi denominado de “Peregrinação ao túmulo de São Pedro”, pois como afirma o bispo auxiliar de Porto Alegre (RS), dom Leomar Brustolin, “tratou-se mais de uma peregrinação do que propriamente um curso”. 

“Em primeiro lugar, buscou-se a comunhão com a Igreja Católica presente ao redor do mundo. A oração comum e a convivência fraterna destes dias fizeram crescer os sentimentos de universalidade e apostolicidade. Diariamente ocorreram conferências, geralmente proferidas por cardeais da Cúria Romana, e diálogos para aprofundar os temas a partir das diferentes regiões onde os bispos se encontram”, explicou. 

Para dom Leomar, o encontro com os novos bispos expressou visivelmente o fundamento da comunhão episcopal que se realiza pela unidade com o papa. “Dessa forma, com gestos e palavras, oração e convivência, cresce a consciência de que fomos constituídos servidores da comunhão eclesial e precisamos de uma constante conversão missionária para compreender nosso ser e nossa missão na Igreja de hoje. 

A confirmação da fé e a comunhão com a Igreja também foram os aspectos ressaltados pelo bispo auxiliar de São Paulo (SP), dom Devair Araújo da Fonseca, sobre a importância do encontro para os bispos.

Encontro com o Papa
 Os novos bispos foram recebidos pelo papa Francisco no dia 10. Segundo dom Leomar, o papa deixou ao grupo uma importante mensagem, “convidando-os a serem pedagogos, guias espirituais e catequistas em suas dioceses". Depois, Francisco saudou pessoalmente cada um dos 125 bispos”. 

O papa também recordou os principais desafios da atualidade e lembrou aos novos bispos que nenhum setor da vida dos homens deve ser excluído do interesse do coração do pastor. Ele apontou questões como os desafios da globalização, “que aproxima o que é distante e, por outro lado, separa as pessoas próximas”, o fenômeno atual das migrações, entre outras. 

O pontífice animou os bispos a não correr o risco de negligenciar as múltiplas e singulares realidades do seu rebanho, a não renunciar aos encontros, a não poupar a pregação da palavra viva do Senhor e convidou a todos para a missão.

Negar a si mesmo, assumir a cruz e seguir a Cristo
Durante missa concelebrada na basílica de São Pedro no último domingo, 13, por ocasião do encontro anual com os novos prelados, o secretário geral do Sínodo dos Bispos, cardeal Lorenzo Baldisseri, afirmou que eles devem banir o “mundanismo espiritual”.

Segundo o cardeal, esse mundanismo “contrasta com a missão de pastores”. “Deve ser banido da nossa vida, enquanto ameaça a Igreja muito mais do que qualquer outro mundanismo moral. E, para conseguirmos isso, é preciso dispor-nos a uma contínua conversão à lógica de Deus, à norma do Evangelho, à sabedoria da cruz” afirmou.

O cardeal defendeu que os pastores da Igreja católica devem negar a si mesmo, “tomar a cruz e seguir Jesus, o que significa pensar segundo Deus”. Para ele, o bispo, com seus colaboradores, sacerdotes e povo são, juntos, chamados a se colocar atrás de Jesus, o único que leva ao Pai. Nesse percurso, o bispo é chamado a caminhar à frente de todos, mas não decidir autonomamente, e sim, como o primeiro a seguir a Cristo e fazer-se seu discípulo.

A partir das palavras do Evangelho de São Marcos, “se alguém quiser ser meu discípulo, negue-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me”, dom Baldisseri observou que na ocasião da celebração junto aos novos bispos, elas “ressoam eloquentes e adquirem um grande significado, junto ao túmulo de Pedro”.

Informações: Site da CNBB


É AMANHÃ!!! Encontro Diocesano da Pastoral do Dízimo em Santa Luzia do Paruá


DIOCESE DE ZÉ DOCA – MA
Av. do Comercio,  156 – Centro 
65365-000    Zé Doca – MA


Coordenação do Dízimo Diocesano 
Carta Convite

“DIZIMISTA CONSCIENTE, 
DÍZIMO PERMANENTE” 




A Diocese de Zé Doca com seu povo santo em caminhada para o Pai louva e agradece a Deus com seu Dízimo, parabéns estamos no caminho certo.

Temos consciência de nossa vocação e missão dentro da Igreja. Nossa caminhada, nossa organização e o nosso Dízimo já expressa bem nossa maturidade cristã. Em relação ao Dízimo a Diocese de Zé Doca vem crescendo a cada dia, mas precisa crescer ainda mais na consciência da Gratidão a Deus com seu Dízimo.

Para fortalecer ainda mais nossa caminhada e aproveitando setembro, o mês da Bíblia, convidamos todas as paróquias da Diocese para um Encontro do Dízimo para avaliação e formação Dia 19/09, Local Santa Luzia do Paruá, com início as 07h30 com café e encerramento com o jantar as 18h. A Inscrição do Encontro R$ 10,00 por pessoa. 

Pedimos 6 pessoas por paróquia, tragam Bíblia e caderno, pedimos também que se possível tragam  anotado os últimos três meses do Dízimo paroquial para avaliarmos o andamento do Dízimo.

Contamos com a participação dos padres e de todos os coordenadores do dízimo das paróquias.

Que Deus nosso Pai querido nos abençoe e guarde sempre. 




Pe. Raimundo Brito dos Santos
Membro da Coordenação Diocesana



Zé Doca, 02 de setembro de 2015. 



Pastoral Vocacional Diocesana realiza encontro na Paróquia São João Batista em São João do Carú

Nos dias 12 e 13/09/2015, aconteceu um encontro vocacional na Paróquia São João Batista na cidade de São João do Carú, lá estavam presentes aproximadamente 30 jovens que eram tanto da cidade, como das comunidades do interior, bem como: os seminaristas Cleyton, Jackson, Tarcísio e Werbeson; e o Pe. Márcio Júnior promotor vocacional da Diocese e nesses dias o palestrante do encontro, o qual tinha como tema: vocacionados para servir. 

No dia 12, 1º dia da palestra, o encontro deu-se início as 08:30 na matriz com a celebração vocacional. Logo após o momento de celebração, todos se dirigiram para o salão paroquial para dar início a primeira seção de palestra as 09:30 com a apresentação do Pe. Márcio Junior, dos seminaristas e de todos os participantes. Após a apresentação o padre disse que a palavra vocação vem do verbo latino vocare, que significa simplesmente chamar. Por trás de todo chamado há alguém que chama, um Deus que ama. Deus puro amor, por amar a todos, chama a todos pelo nome. Chama a todos para uma missão. Ninguém é chamado para servir a si mesmo mas para exercer um serviço em favor da comunidade. Mas Deus respeita nossa liberdade. É Deus que tem a iniciativa de chamar, mas não é Ele quem da resposta. Diante do chamado de Deus, é preciso a participação humana. Deus chama a todos, sem exclusão. Quem diz “sim” a Deus não consegue permanecer mais o mesmo. Torna-se outra pessoa radicalmente diferente.


Após um momento de reflexão sobre o sentido da vocação, Pe. Marcio Junior falou sobre a história de um santo da Igreja, que na vida deixou um grande testemunho de conversão e Fé, que foi São Francisco de Assis. Homem que deixou ser transformado por Deus, pois era considerado um louco perante as pessoas, sendo que ele realmente estava louco por Deus e pelo seu Reino. Francisco foi um jovem que reconstruiu a Igreja. A igreja estava com Francisco e Francisco estava com ela e com Jesus. Seus pais ainda não haviam percebido, mais seu filho estava totalmente apaixonado por Cristo e pelo seu reino de Deus. Em vez de ajudar seu pai a acumular mais bens passou a distribuir os bens de seus pais aos pobres, em vez de sonhar com a nobreza começou a viver a pobreza. 

No período da tarde do mesmo dia, as 14:30 deu início a 2ª parte do encontro, iniciando com um momento de oração e animação feita pelos seminaristas, e logo após foi entregue aos presentes um texto do Papa Francisco, que tinha como tema: o êxodo, experiência fundamental da vocação. 

Toda vocação exige sempre um êxodo de si mesmo para centrar a própria existência em Cristo e em seu evangelho, um real e verdadeiro êxodo, é o caminho da alma cristã e da Igreja inteira, a orientação decisiva da existência para o Pai. A experiência do êxodo é paradigma da vida cristã, particularmente de quem abraça uma vocação de especial dedicação ao serviço do Evangelho. 

Ao término da reflexão sobre esta mensagem do Papa, o palestrante fez uma pequena atividade em grupo, pois cada grupo teve um representante para comentar as perguntas. No final desta atividade, todos se dirigiram para a Matriz onde ocorreu o terço vocacional encerrando deste modo o 1º dia de palestra as 17:00. 

No dia seguinte, as 8:30 deu-se início ao segundo dia de encontro com um momento de oração e animação. Prosseguindo com o tema da palestra: a comunidade: útero da vocação.

É na comunidade que descobrimos a nossa vocação. A comunidade deve ser um canteiro vocacional e não um cemitério vocacional. Existem vários modos de descobrir se a comunidade é um canteiro vocacional ou um cemitério vocacional. Há jovens na comunidade, em grupos, pastorais, seminário, casa de formação, liderança de comunidade em constante modificação, entre outros? Depois de ter discorrido sobre a importância da comunidade foi lido aos presentes o testemunho de vida de Madre Tereza de Calcutá. Mulher de família rica, que depois se entregou ao serviço dos mais pobres, mulher de Fé, não passava um dia sem rezar no mínimo quatro a cinco horas por dia, seu exemplo transformou a cidade de Calcutá, pois era considerada uma santa. Madre Tereza serviu aos mais pobres, aos mais abandonados e aos mais necessitados. 

Após este momento de palestra teve uma pequena pausa para o lanche as 9:45e reiniciou as 10:00 com uma dinâmica feita pelos seminaristas e prosseguindo com a última seção de palestra, discorrendo sobre os carismas, a vocação a santidade, a vocação a vida religiosa e vocação a vida sacerdotal.

Carisma é gratuidade, benevolência, dom da graça de Deus. É na comunidade que descobrimos o nosso carisma, são os carismas que promovem a comunidade. Deus chama a todos para a santidade, sozinhos não podemos ser santos. Ser santo é assumir o que você é, é assumir a tua humanidade. A vocação religiosa: é uma opção para quem deseja seguir Cristo na radicalidade do evangelho. A vocação a vida sacerdotal: o padre diocesano é alguém que deve se configurar a Jesus, o Bom Pastor. O padre diocesano é um exemplo de Pastor a exemplo de Jesus. A preparação para o padre diocesano é no seminário, onde são trabalhados alguns aspectos. Somos chamados a felicidade, pois Deus é feliz. Por fim, após o momento de palestra todos se dirigiram para a Matriz, para o momento de adoração ao santíssimo sacramento, seguida da benção solene com o santíssimo e a despedida de todos os que participaram do encontro.   

Agradecemos ao pároco Pe. Pedro, a irmã Deuseni e a irmã Iza pelo acolhimento, e ajuda por tudo que necessitamos nos dias de encontro.