OBJETIVO GERAL


OBJETIVO GERAL:
Evangelizar a partir de Jesus Cristo e na força do Espírito Santo, como Igreja discípula, missionária, profética e misericordiosa, alimentada pela Palavra de Deus e pela Eucaristia, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, para que todos tenham vida (Jo 10,10), rumo ao Reino definitivo.


terça-feira, 23 de setembro de 2014

Campanha Missionária 2014 aborda “Missão para libertar”

As Pontifícias Obras Missionárias (POM) lança nesta segunda-feira, 22, a Campanha Missionária, que neste ano traz como tema "Missão para Libertar" e lema "Enviou-me para anunciar a libertação". 
A coletiva contará com a participação do presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária e Cooperação Intereclesial da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Sérgio Arthur Baschi; do diretor nacional das POM, padre Camilo Pauletti; e da assessora da Comissão Episcopal para a Amazônia (CNBB), irmã Irene Lopes.
Desde 1926, a Campanha Missionária é realizada em outubro com objetivo de chamar a atenção dos cristãos para o seu compromisso com a missão da Igreja em âmbito mundial. Em 2014, o tema trabalhado pela Campanha, “Missão para libertar”, retoma a Campanha da Fraternidade deste ano, que abordou “Fraternidade e Tráfico Humano”.
Acompanhada do lema “Enviou-me para anunciar a libertação”, a Campanha Missionária 2014 quer chamar a atenção para a escravidão do tráfico humano em suas diversas expressões, como a exploração do trabalho, exploração sexual, extração de órgãos e tráfico de crianças e adolescentes para adoção.
Entre os materiais para a campanha deste ano estão: cartaz com tema e o lema, livro da novena, DVD com testemunhos, mensagem do papa para o Dia Mundial das Missões, oração missionária, oração dos fiéis para os quatro domingos de outubro, marcadores de páginas e envelopes para a coleta do Dia Mundial das Missões. 
No Brasil, as Pontifícias Obras Missionárias (POM) têm a responsabilidade de organizar, todos os anos, a Campanha Missionária, com a colaboração da CNBB por meio da Comissão para a Ação Missionária e Cooperação Intereclesial, a Comissão para a Amazônia e outros organismos que compõem o Conselho Missionário Nacional (Comina).

Com informações das POM

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

PREPARANDO A SAGRAÇÃO EPISCOPAL DE PE. JOÃO KOT

Para ficar mais “por dentro” do sentido da Sagração do novo Bispo de Zé Doca
Há Celebrações que acontecem muito raramente na nossa Igreja e são sumamente importantes, significativas e solenes: por ex.: Consagração de Diáconos e Presbíteros, criação de Paróquias, Posse dos novos Párocos, Profissão temporária ou perpétua de Religiosos ou Religiosas...até as mais importantes da Sagração de um Bispo e a Posse do Bispo numa Diocese.

Estamos para viver dois destes momentos extremamente importantes na nossa Diocese de Zé Doca. O papa Francisco nos agraciou enviando entre nós o novo Bispo Pe. João Kot. Ele nasceu na Polônia no ano de 1962. No ano de 1994 veio ao Brasil: trabalhou em Pernambuco, no Piauí e, agora, em São
Paulo.
No dia 18 de outubro em Pernambuco (Vitória de Santo Antão) haverá a Sagração Episcopal do nosso novo Bispo e aos 08 de novembro deste ano de 2014 haverá a Posse Canônica em Zé Doca (MA).
Vale a pena refletir: Qual o sentido destas duas solenes Celebrações? Porque tanta festa? Para a Igreja, quem é o Bispo?
Eis o que pensa a Igreja. Eis quem é o Bispo para nós cristãos Católicos.

... os Bispos... foram constituídos verdadeiros e autênticos Mestres da fé, Pontífices e Pastores...
... os Bispos, como sucessores dos Apóstolos, recebem do Senhor, a quem foi dado todo o poder no céu e na terra, a missão de ensinar a todos os povos e pregar o Evangelho a toda criatura, a fim de que os homens todos, pela fé, pelo batismo e pelo cumprimento dos mandamentos, alcancem a salvação...
Entre os principais deveres dos Bispos sobressai a pregação do Evangelho, pois os Bispos são os pregoeiros da fé, que levam novos discípulos a Cristo e são ou doutores autênticos que pregam ao povo a eles confiado qual a fé que devem crer e aplicar aos costumes. Na verdade, assim como, pelo ministério da palavra, comunicam aos que creem a força de Deus para a salvação, assim também santificam os fiéis através dos sacramentos:...


MOMENTOS MAIS IMPORTANTES na Celebração da Sagração Episcopal:
Propósitos (ou promessas) do eleito emitidas diante do povo
1. Queres anunciar o Evangelho de Cristo com fidelidade e perseverança?
2. Queres conservar em sua pureza e integridade o tesouro da fé, tal como foi recebido pelos Apóstolos e transmitido na Igreja, sempre e em toda parte?
3. Queres edificar a Igreja, corpo de Cristo, e permanecer na sua unidade com o Colégio dos Bispos, sob a autoridade do sucessor do Apóstolo Pedro?
4. Queres obedecer fielmente ao sucessor do Apóstolo Pedro?
5. Queres, com teus colaboradores presbíteros e diáconos, cuidar do povo de Deus com amor de pai e dirigi-lo no caminho da salvação?
6. Queres, por amor a Deus, mostrar-te afável e misericordioso para com os pobres e peregrinos e todos os necessitados?
7. Como bom pastor, queres procurar as ovelhas errantes e conduzi-las ao rebanho do Senhor?
8. Queres orar incessantemente pelo povo de Deus e desempenhar com fidelidade a missão do sumo sacerdócio?

A todas estas perguntas o Eleito responde: QUERO!
Imposição das mãos: momento essencial na prece de Sagração Episcopal.

É com estas palavras que o escolhido recebe o Espírito Santo e se torna bispo sucessor dos Apóstolos.
.....Enviai agora sobre este Eleito a força que de vós procede, o Espírito Soberano, que destes ao vosso amado Filho, Jesus Cristo, e ele transmitiu aos Apóstolos, que fundaram a Igreja por toda parte, como vosso templo, para glória e perene louvor do vosso nome...

Unção da cabeça com o Óleo do Crisma

Desde os tempos do Antigo Testamento, os Reis escolhidos por Deus para dirigir e governar o povo, recebiam tal poder e dignidade com uma unção abundante de óleo derramado na cabeça. Hoje, tal sinal continua presente na Celebração da Sagração de Sacerdotes e de Bispos.
“Deus que te fez participar da plenitude do sacerdócio de Cristo, derrame sobre ti o bálsamo da unção, enriquecendo-te com a bênção da fecundidade espiritual”.

Entrega do livro dos Evangelhos aberto em cima da cabeça do Eleito

Evangelizar o povo de Deus, pregando o Evangelho, é a missão mais importante para o Bispo. Por isso a Palavra de Deus deve penetrar a mente e o coração do candidato.
“Recebe o Evangelho e anuncia a palavra de Deus com toda a constância e desejo de ensinar.”

Entrega das insígnias:
- anel: comumente chamado de ‘aliança’, indica claramente e para sempre o compromisso do escolhido para com Deus e sua Igreja.

“Recebe este anel, símbolo da fidelidade; e com fidelidade invencível guarda sem mancha a Igreja, esposa de Deus”. 


- mitra: barrete alto e cônico, fendido lateralmente na parte superior e com duas faixa que caem sobre as espáduas, que o Papa, os Bispos põem na cabeça em solenidades pontificais. As duas pontas indicam a necessidade da santidade do escolhido e o compromisso de levar à santidade o povo de Deus.
“Recebe a mitra e brilhe em ti o esplendo da santidade, para que, quando vier o Príncipe dos pastores, mereças receber a imarcescível coroa da glória”.

- báculo: bastão com a extremidade superior arqueada, usado pelos Bispos, chama a atenção sobre o poder de dirigir e governar o povo de Deus, que o Bispo recebe naquele momento.
“Recebe o báculo, símbolo do serviço pastoral, e cuida de todo o rebanho. No qual o Espírito Santo te constituiu Bispo a fim de apascentares a Igreja de Deus”.

- Nota: O solidéu (do latim: soli Deo, “somente a Deus”) não faz parte dos sinais ou símbolos entregues ao Eleito durante a Sagração. Ele é um pequeno barrete, em forma de calota, com que bispos e alguns padres cobrem o alto da cabeça. O de cor roxa é para os bispos; o de cor vermelha é para os Cardeais; o de cor branca é para o Papa.

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Papa faz novo apelo pela paz na Ucrânia

   No último domingo, 7, após rezar o Angelus, o papa Francisco voltou a lançar um apelo pela paz na Ucrânia. “Nestes últimos dias, disseram ter tomado medidas significativas para alcançar uma trégua nas regiões envolvidas no conflito na Ucrânia oriental, embora tenhamos escutado hoje notícias pouco confortantes”, disse Francisco.
    O pontífice seguiu afirmando que espera que as medidas possam aliviar a população e contribuir para os esforços de uma paz duradoura. “Rezemos para que, na lógica do jogo, continue o diálogo iniciado e que ele dê o resultado esperado. Maria Rainha da Paz, rogai por nós”, pediu.
   O bispo de Roma também uniu sua voz a dos bispos de Lesoto, na África, que vêm apelando pela paz no pequeno país. “Condeno todos os atos de violência e rezo ao Senhor para que no reino de Lesoto se reestabeleça a paz, a justiça e a fraternidade”, afirmou o papa.
   Ele também recordou que no último domingo, um comboio de trinta voluntários da Cruz Vermelha italiana partiu para o Iraque, onde dezenas de milhares de pessoas encontram-se refugiadas. “Expressando um profundo sentimento de apreço por esta obra generosa e concreta, concedo minha benção a eles e a todas as pessoas que tentam ajudar todos os nossos irmãos perseguidos e oprimidos”, disse Francisco.
   Ao final, o papa falou sobre a festa da Natividade da Virgem Maria, celebrada na segunda-feira. Ele lembrou que quando a mãe faz aniversário, devemos felicitá-la. “Seria seu aniversário. Desde manhã cedo, do seu coração e dos seus lábios, se cumprimenta a Virgem. Diz-se um feliz aniversário e reze uma Ave Maria para que ela venha aos corações dos seus filhos e filhas”, concluiu.

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Comunidade de São Raimundo Nonato em Zé Doca festeja seu padroeiro

Ontem por volta do entardecer do dia a comunidade São Raimundo Nonato, localizado no bairro Vila Barroso (em Zé Doca) celebrou mais uma festa em homenagem em honra a seu padroeiro. A Celebração Eucarística foi presidida por Dom Carlo Ellena (bispo emérito de Zé Doca) e concelebrada pelo vigário paroquial Saris Verde. 

São Raimundo Nonato nasceu na Espanha, em Portel, na diocese de Solsona (próximo a Barcelona) no ano de 1200. Ainda menino, teve de guardar o gado e, durante seus anos de pastor, visitava constantemente uma ermida de São Nicolau, onde se venerava uma imagem de Nossa Senhora de quem era devotíssimo.

Conta-se que, durante as horas que passava aos pés de Maria, um anjo lhe guardava o rebanho. Desde jovem, Raimundo Nonato percebeu sua inclinação à vida religiosa. Seu pai buscou, sem êxito, impedi-lo de corresponder ao chamado vocacional. Ao entrar para a Ordem de Nossa Senhora das Mercês, pôde receber do fundador: São Pedro Nolasco, o hábito. Assim, tornou-se exemplo de ardor na missão de resgatar das mãos dos mouros, os cristãos feito escravos.

Certa vez, São Raimundo conseguiu liderar uma missão que libertou 150 cristãos, porém, quando na Argélia acabaram-se os recursos para o salvamento daqueles que corriam o risco de perderem a vida e a fé, o Missionário e Sacerdote Raimundo, entregou-se no lugar de um dos cristãos. Na prisão, Raimundo pregava para os muçulmanos e cristãos, com tanta Unção que começou a convertê-los e desse modo sofreu muito, pois chegaram ao extremo de perfurarem os seus lábios com um ferro quente, fechando-os com um cadeado. Foi mais tarde libertado da prisão e retornou à Espanha.

São Raimundo Nonato, morreu em Cardona no ano de 1240 gravemente doente. Não aguentou atingir Roma onde o Papa Gregório IX queria São Raimundo como Cardeal e conselheiro. O seu corpo foi descansar na mesma ermida de São Nicolau em que orava nos seus anos de pastor.

São Raimundo Nonato, rogai por nós!