OBJETIVO GERAL


OBJETIVO GERAL:
Evangelizar a partir de Jesus Cristo e na força do Espírito Santo, como Igreja discípula, missionária, profética e misericordiosa, alimentada pela Palavra de Deus e pela Eucaristia, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, para que todos tenham vida (Jo 10,10), rumo ao Reino definitivo.


terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

REUNIÕES

             

 
                 Serviço de Animação Vocacional

           A Equipe Diocesana de Formação se reuniu na última sexta-feira, dia 22 de fevereiro, com os animadores forâneos da Pastoral Vocacional. 
          Primeiramente, Dom João Kot presidiu a Santa Missa na Catedral, concelebrada pelos padres membros da Equipe de Formação e pelos membros do SAV da nossa Diocese de Zé Doca.
             Em seguida, decorreu-se a reunião  com pauta sobre o serviço de animação vocacional nas Foranias e o acompanhamento dos vocacionados.

                     Conselho Diocesano de Formação 

          Na manhã de sábado, dia 23 de fevereiro, aconteceu a primeira reunião do Conselho Diocesano de Formação. Foi uma oportunidade exitosa de refletir a Formação na nossa Diocese. 
        Dom João Kot presidiu a reunião e discorreu juntamente com os padres, as religiosas e os leigos membros do Conselho, sobre a realidade, os desafios, os projetos e perspectivas da Formação na nossa Igreja particular de Zé Doca.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

ASSEMBLEIA DIOCESANA DA RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA- RCC

     A Renovação Carismática Católica da Diocese de Zé Doca reuniu, no final de semana (15 a 17/02) em Santa Luzia do Paruá - MA, coordenadores de Grupos de Oração e seus núcleos e coordenadores diocesanos de ministérios em Assembleia Diocesana. 

    A Assembleia tinha como pautas:  implantação do ministérios para as famílias (MPF), apresentações de ministérios, formações para lideranças e montagem de agenda diocesana. 

    Estavam presentes Iracilda Alda (Presidente da RCC ZÉ DOCA), Alex e Ataanda (Coordenadores estaduais do MPF RCC MA). Adoração eucarística, vivência fraterna, formações, missa e reunião de oração fizeram parte da programação. 

     “Se eu recebi o amor de Deus de graça de graça eu devo dar aos meus irmãos” essa foi uma das marcantes falas de Alex (MPF RCC MA). Já a presidente do conselho diocesano da RCC Zé Doca, Iracilda Alda, falou sobre ser cheios do Espírito Santo para que assim, com o auxílio d'Ele, possamos saber levar a mensagem de Jesus e a cultura de Pentecostes. 











quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

SAUDAÇÃO AO MONSENHOR EVALDO CARVALHO DOS SANTOS


          A Nunciatura Apostólica no Brasil comunicou nesta quarta-feira, 20 de fevereiro, a decisão do Papa Francisco em nomear Bispo para a vacante Diocese de Viana-MA, Monsenhor Evaldo Carvalho dos Santos.
          Nossa Diocese de Zé Doca se alegra com essa nomeação e faz preces acompanhadas de uma súplica para que o pastoreio de Monsenhor Evaldo Carvalho dos Santos, na Diocese de Viana, seja pleno de frutos para o Reino de Deus.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

OS HOMENS DO TERÇO

                                                                     
 Dom Fernando Arêas Rifan*








    No último dia 16, como todos os anos, na Basílica-Santuário Nacional de Aparecida, se reuniram cerca de 80 mil “Homens do Terço”. Foi emocionante presenciar a chegada das romarias de todo o Brasil, trazendo homens de todas as classes sociais, unidos por essa oração abençoada, o Rosário de Nossa Senhora. Esta foi a XI Romaria Nacional, com o tema “Terço dos Homens: Não basta rezar, é preciso agir!”, e com o lema: “Eis-me aqui!” A missão do Terço dos Homens é resgatar para o seio da Igreja homens de todas as idades, pois a presença masculina na Igreja é imprescindível para a formação da família e de uma sociedade cristã. 

     O tema deste ano – orar e agir - é baseado na regra de São Bento: “Ora et labora”, “Ore e trabalhe”: não é suficiente rezar, é preciso agir, trabalhar, evangelizar, conquistar, corrigir, edificar, plantar e colher. E não basta a ação: é preciso, sobretudo, a oração, a união com Deus.

Iniciado no Santuário da Mãe Três Vezes Admirável de Schoenstatt, no Nordeste, e propagado pelo Brasil inteiro, o Terço dos Homens é já uma realidade em todos os Estados do Brasil, calculando-se um milhão de homens que fazem parte desse movimento. Parabéns! Eles merecem nosso incentivo. Como diz a bela letra do Hino do Terço dos Homens, composto pelo Pe. Antônio Maria, “Ó Mãe e Rainha do Santo Rosário, Mãe Admirável, Mãe do Santuário, o mundo sem fé, na dor se consome, ajuda esse mundo com o Terço dos Homens”. 

O Papa São João XXXIII dizia que o Terço é o Evangelho das pessoas simples. De fato, é uma recordação e meditação do Evangelho na escola de Maria, como diz a letra do mesmo hino de que falamos: “É Tua escola o Terço, ele é luz, ninguém como Tu sabe mais de Jesus; o Santo Evangelho ensina de novo, Teu Terço é a Bíblia que Deus deu ao povo”. 

O Papa São João Paulo II ensinou-nos que o Rosário “concentra a profundidade de toda a mensagem evangélica da qual é quase um compêndio... Com ele, o povo cristão frequenta a escola de Maria, para deixar-se introduzir na contemplação da beleza do rosto de Cristo e na experiência da profundidade do seu amor” (Carta Apost. Rosarium Virginis Mariae, 1).

Mesmo sendo uma oração de louvor a Maria Santíssima, o centro do Rosário está em Jesus Cristo, cujo nome é o centro de gravidade da Ave-Maria, a dobradiça entre a sua primeira parte e a segunda. “É precisamente pela acentuação dada ao nome de Jesus e ao seu mistério que se caracteriza a recitação expressiva e frutuosa do Rosário” nos ensina S. João Paulo II. 
E o Rosário é uma oração muito recomendada por todos os últimos Papas, incluindo o Papa Francisco. “Queira Deus – é um ardente desejo nosso – que esta prática de piedade retome em toda parte o seu antigo lugar de honra!” (Leão XIII). “O Rosário é a mais bela e a mais preciosa de todas as orações à Medianeira de todas as graças: é a prece que mais toca o coração da Mãe de Deus” (São Pio X). “Maria nos acompanha, luta conosco, apoia os cristãos no combate contra as forças do mal. A oração com Maria, em particular o Rosário – mas ouçam bem: o Rosário” (Francisco).







*Bispo da Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney
http://domfernandorifan.blogspot.com.br/


quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

A LAMA DO PECADO



                                                                                                                                                                                                                                                                        Dom Fernando Arêas Rifan*

        O Brasil e o mundo se assustaram com o terrível desastre do rompimento da barragem em Brumadinho MG, especialmente com o sofrimento e a morte de pessoas, com a dor dos seus familiares, colegas e amigos. 

         Com o Papa Francisco, exprimimos também os nossos sentimentos de pesar pela tragédia que atingiu o Estado de Minas Gerais. E com Sua Santidade recomendamos à misericórdia de Deus todas as vítimas e ao mesmo tempo rezamos pelos feridos, exprimindo o nosso afeto e proximidade espiritual às suas famílias. Estamos solidários com os Bispos de Minas, suas dioceses e o povo mineiro em geral.

     Mas esse desastre ambiental, com sintomas de crime, nos leva a questionamentos e reflexões. A lama muitas vezes é tomada na Sagrada Escritura como símbolo do pecado. Será que essa lama de Minas Gerais não aponta pecados graves de omissão nos responsáveis?

          Um dos princípios fundamentais da Doutrina Social da Igreja é a prioridade do ser humano sobre os bens materiais: “É preciso acentuar o primado do homem no processo de produção, o primado do homem em relação às coisas” (S. João Paulo II, Lab exercens, 12f). Quando o ser humano é tratado apenas como peça de uma engrenagem de produção, quando se põe o lucro e o dinheiro acima das pessoas, estamos no inverso do que se espera de uma sociedade humana e cristã. E essa prioridade é negligenciada quando se pensa mais no lucro e no dinheiro do que na segurança e bem-estar das pessoas, com gravíssimas consequências, como as que presenciamos. O Papa Francisco tem nos advertido contra a cultura do lucro, do descarte e da indiferença, sobretudo em se tratando de pessoas. O preço da vida humana é inestimável.

        São Leonardo de Porto Maurício, exímio pregador, falando sobre a grande responsabilidade dos que têm outros sob sua guarda, conta-nos uma curiosa parábola: certo pastor de cabras foi preso e lançado na prisão sem saber por quê. E ele dizia a si mesmo: eu não fiz mal algum. E no tribunal lhe perguntaram: você não é o pastor tal, guardião daquele rebanho? Sim, respondeu ele. Você está condenado às galés. Mas por que? Enquanto você tocava sua flauta e descansava, suas cabras romperam a cerca, entraram na plantação do vizinho e destruíram tudo. Elas são animais irracionais. Mas você era o guardião e responsável: crime de omissão. Pela sua negligência, está condenado a pagar todos os prejuízos. 

              Grandes tragédias já aconteceram por negligência dos (ir)responsáveis. No Titanic, o telegrafista não se importou com as insistentes advertências dos outros navios sobre a presença de perigosos icebergs. Uma inadvertência do comandante do transatlântico, um cochilo do piloto do avião que depois ficou ingovernável, a falta de colocação de disjuntores em aparelhos de ar condicionado, etc. Mede-se a gravidade da negligência pelo tamanho do prejuízo causado. Os responsáveis devem ser responsabilizados e punidos, para se evitar desastres futuros. 

*Bispo da Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney
http://domfernandorifan.blogspot.com.br/

domingo, 10 de fevereiro de 2019

NOTA DOS BISPOS DO MARANHÃO SOBRE A SITUAÇÃO ATUAL


CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL
CNBB - REGIONAL NE 5


NOTA DOS BISPOS DO MARANHÃO SOBRE A SITUAÇÃO ATUAL



     Todas as vezes que fizestes isso a um destes mínimos que
são meus irmãos, foi a mim que o fizestes! (Mt 25,40).

    
      O Evangelho deixa bem claro que Jesus sempre teve um olhar de compaixão para com os pobres, identificando-se com eles e defendendo-lhes a dignidade (cf. Mt 25, 31-45). 

      Inspirados no testemunho de Jesus, nós, bispos católicos do Regional Nordeste 5 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil-CNBB, reunidos no Conselho Episcopal Regional, de 04 a 06 de fevereiro 2019, em Coroatá-MA, analisamos a atual conjuntura social e política do País. Entre outras questões, constatamos com preocupação a extinção do Ministério do Trabalho, fato que pode ocasionar perdas de direitos dos trabalhadores. Preocupa-nos também a atribuição da demarcação de terras indígenas, anteriormente sob a responsabilidade da Fundação Nacional do Índio-FUNAI, ao Ministério da Agricultura, cujos dirigentes têm manifestado opiniões, ao nosso ver, contrárias aos direitos fundamentais dos povos indígenas. 

     Outra preocupação provém de pronunciamentos por parte de membros do Governo Federal, cuja intenção parece ser a de intimidar os militantes do Conselho Indigenista Missionário-CIMI e da Comissão Pastoral da Terra-CPT. Tanto o CIMI como a CPT são organismos importantes na defesa dos direitos dos povos indígenas, das comunidades quilombolas e dos trabalhadores do campo, direitos esses que são reconhecidos pela Constituição Federal. 

      No Maranhão, reafirmamos o nosso apoio aos povos indígenas que resistem com coragem à invasão de seus territórios. Também nos solidarizamos com as famílias atingidas pela construção de torres para produção de energia eólica em Paulino Neves, bem como com as famílias prejudicadas com a instalação do linhão para o transporte da energia ali produzida. Não deixa de ser irônico que pobres pescadores artesanais e pobres camponeses paguem proporcionalmente uma conta maior para a produção dessa energia considerada limpa. 

      A tragédia, acontecida em Brumadinho-MG apenas três anos após aquela outra acontecida em Mariana, nos leva a redobrar a atenção e a reflexão com vista a possíveis tomadas de decisão a respeito das consequências e impactos negativos provenientes da mineração, do transporte e do embarque de minério de ferro em nossa região. Não podemos também nos esquecer dos tanques de lama vermelha produzidos pela Alumar, e outros projetos, como a expansão do Porto de Itaqui e a criação de camarão, os quais, sem trazer ganhos sociais significativos, colocam em risco o frágil bioma da Ilha de São Luís e dos Campos de Perizes. 

    Reafirmamos nosso apoio à resistência das comunidades indígenas e quilombolas, à Teia das Comunidades Tradicionais, à ONG Justiça nos Trilhos, entre outras. 
      Colocando a vida de nosso povo sob a proteção de Nossa Senhora Aparecida e pedindo a graça para sempre imitarmos o exemplo de Jesus Cristo, subscrevemos: 

Armando Martín Gutiérrez, bispo de Bacabal 
Elio Rama, bispo de Pinheiro 
Esmeraldo Barreto de Farias, bispo auxiliar de São Luís 
Francisco Lima Soares, bispo de Carolina 
José Belisário da Silva, arcebispo de São Luís 
José Spiga, administrador diocesano de Viana 
José Valdeci Santos Mendes, bispo de Brejo 
João Kot, bispo de Zé Doca 
Sebastião Bandeira Coêlho, bispo de Coroatá 
Sebastião Lima Duarte, bispo de Caxias 
Vilsom Basso, bispo de Imperatriz 
Xavier Gilles de Maupeou d'Ableiges, bispo emérito de Viana

     Sugerimos que, nos dias 23 e 24 de fevereiro, ao se completar um mês da tragédia de Brumadinho e fazendo memória de suas vítimas, se faça a leitura desta nota em todas as celebrações, seja após a homilia, seja ao final da celebração, durante os avisos da comunidade.

Rua do Rancho, 57 - Centro - CEP 65010-010 – São Luís-MA - Brasil - Fone: (98) 3222-8341 - Fax: (98) 3231-7056 E-mail: cnbbne5@cnbbne5.org.br — Site: www.cnbbne5.org.br 

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

ABERTURA DO ANO FORMATIVO NO SEMINÁRIO DOM GUIDO MARIA CASULLO



        No domingo, 27 de janeiro de 2019, no Seminário Maior Dom Guido Maria Casullo, da Diocese de Zé Doca, houve a solene abertura do novo ano de formação dos seminaristas de Filosofia e de Teologia. Dom João Kot presidiu uma missa e deu as boas-vindas aos seminaristas da nossa Diocese, entre os quais dois deles, Geovane e Wallacy, foram especialmente acolhidos por estarem iniciando seus estudos filosóficos. 
 
     No dia seguinte, pela manhã, houve a Missa Solene de abertura dos estudos acadêmicos no IESMA, na igreja Santo Antônio. Logo após a Santa Missa houve, a tradicional aula inaugural ministrada por Dom Francisco Lima, Bispo da Diocese de Carolina. 
Em Belém do Pará, Marcinaldo (3º. ano de Teologia) e Weverson (1º. ano de Teologia) também iniciaram o ano formativo participando das celebrações e atividades no Seminário Maior São Pio X.