OBJETIVO GERAL


OBJETIVO GERAL:
Evangelizar a partir de Jesus Cristo e na força do Espírito Santo, como Igreja discípula, missionária, profética e misericordiosa, alimentada pela Palavra de Deus e pela Eucaristia, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, para que todos tenham vida (Jo 10,10), rumo ao Reino definitivo.


sábado, 10 de janeiro de 2015

IN MEMORIAM A DOM GUIDO MARIA CASULLO


Hoje, 10 de janeiro, relembramos o falecimento de Dom Guido, primeiro bispo de Zé Doca, tendo sido anteriormente bispo Prelado de Cândido Mendes e só mais tarde mudou de nome passando-se a chamar diocese de Zé Doca. Não poderíamos, não lembrar deste grande missionário que aqui passou deixando suas sementes que com certeza deram seus frutos. 

Breve bibliografia de vida de Dom Guido

Dom Guido Maria Casullo, nasce no dia 27 de maio de 1909, em Monteleone di Puglia, Itália, filho de José Antonio Casullo e Catarina Contella Casullo. Foi batizado em 2 de junho do mesmo ano.

No ano de 1920, prestou com sucesso o exame de acesso ao ginásio
e 04 de novembro do mesmo ano começou seus estudos no Seminário Diocesano de Ariano Irpino (Avelino). Os anos se passam e aos 6 de janeiro de 1932 foi é ordenado Diácono e seis meses mais tarde (16 de julho) recebe o sacramento da Ordem. Foi nomeado bispo em 27/05/1951 e ordenado bispo em 15/07/1951, na mesma Catedral em Ariano Irpino - Itália. Seu lema "OMNI SPES VITAE" (toda esperança da vida).

Em 1962, Dom Guido trabalhou na comissão de liturgia do Concílio Vaticano II. Aproveitou os diversos contatos para apresentar e insistir em sua proposta de trabalho missionário. E em 17 de dezembro do ano corrente teve finalmente aceita sua demanda, a partir de duas propostas, uma para África, outra para o Brasil, com a definição de sua vinda para a Pinheiro (Prelazia), no Maranhão.

A viagem Itália – Brasil iniciou-se a 12 de maio de 1963, com escala em Fátima para receber a benção de Nossa Senhora. Chegou ao Rio de Janeiro em 17 de maio, onde fez curso intensivo de português.

Aos 7 de junho (1963) viaja para Pinheiro como Bispo Auxiliar de Dom Afonso Ungarelli. Passa a residir na Casa de Procura Santa Teresa (casa de apoio às irmãs carmelitas).

Nos anos 1963 a 1965 atuou como Bispo Auxiliar de Pinheiro. Continuou a colaborar com os trabalhos do Concílio Vaticano II que se encerrou a 8 de dezembro de 1965.

Em 27 de fevereiro de 1966 é nomeado Prelado de Cândido Mendes.

Nos anos de 1966 a 1983:

Instalação e trabalho dedicado, durante dezessete anos, na Prelazia de Cândido Mendes. Ajudado sempre por uma profunda devoção à Sagrada Família a ela atribui a graça de ter conseguido ajuda de vária comunidades missionárias: os combonianos, a irmãs da Sagrada Família (filhas de Santa Emília – França), as irmãs Oblatas do Sagrado Coração, as Professas de Nossa Senhora da Providência (origem Argentina), os padres Lassalistas, as irmãs da Redenção. Irmã Elizabeta, hoje no Peru, foi a primeira médica na região. Além disto, diversos padres diocesanos assumiram a vocação missionária (cinco de Turim). Contou também com seu contemporâneo mais velho de seminário e antigo Bispo na Itália, Renato Luisi, que, como padre Missionário, chegou para trabalhar em Cândido Mendes.

As irmãs de Jesus Crucificado vieram também espontaneamente e sem ônus para a prelazia, em duas equipes para atuar na região mais difícil do território.

O Seminário, também dedicado à Sagrada Família, cresceu e hoje é o mais ativo das dioceses da região.

A Pastoral Indigenista contava com dois sacerdotes que trabalhavam com grandes sacrifícios. Um deles tornou-se vice-presidente do CIMI.

Dom Guido sempre participou das atividades da CNBB e de suas assembleias anuais em Itaici.

No ano de 1983, por iniciativa da própria Santa Sé a prelazia se transforma na Diocese de Cândido Mendes, a Diocese da Sagrada Família. A 6 de outubro Dom Guido é o primeiro Bispo da nova Diocese.

Em 1984, Dom Guido apresenta carta de renúncia ao completar 75 anos. A carinhosa resposta do Papa só chega dois anos depois.

No ano de 1986, Dom Guido tem três possíveis destinos para sua residência de Bispo Emérito Missionário (Luanda, São Luiz, Fortaleza). O Cardeal Prefeito da Congregação dos Bispos, da Cúria Romana, o aconselha em conversa em Itaici, durante a assembleia da CNBB: Fortaleza! Certamente a tão querida Sagrada Família o encaminhou para os filhos do beato João Piamarta, também grande devoto. Dom Guido chega em Fortaleza à nova casa na Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré, no Montese, a 19 de agosto de 1986.

Entre os 1986-1990 – Intensifica sua prioridade ao atendimento de confissões. Por vezes as filas se prolongam até as 10 horas da noite. A cada ano passava quatro meses em missão de solidariedade em Canindé, junto a seus irmãos franciscanos, ajudando nas confissões.

Em 2001, Dom Guido comemora o Jubileu Episcopal e lança o Projeto Lar Sacerdotal Sagrada Família para Presbíteros e Bispos idosos ou doentes. Em 4 de abril de 2003, Dom José Antônio Aparecido Tosi Marques preside a Assembleia de fundação do Instituto Lar Sacerdotal com a participação de Dom Guido. Em 15 de dezembro do mesmo ano, aprova o projeto da primeira casa do Lar Sacerdotal a ser construída na Comunidade Espiritual Uirapuru

Dom Guida Maria Casullo veio a falecer em 10 de janeiro de 2004, no Hospital Gastroclínica, sendo sepultado na cripta da Catedral de Fortaleza.

* Bibliografia retirado do site Lar Sacerdotal: Jesus, Maria e José, (disponível em http://www.larsacerdotal.org.br/), mas com algumas modificações e revisado por Dom Sebastião Lima Duarte.



Nenhum comentário:

Postar um comentário