OBJETIVO GERAL


OBJETIVO GERAL:
Evangelizar a partir de Jesus Cristo e na força do Espírito Santo, como Igreja discípula, missionária, profética e misericordiosa, alimentada pela Palavra de Deus e pela Eucaristia, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, para que todos tenham vida (Jo 10,10), rumo ao Reino definitivo.


quinta-feira, 12 de novembro de 2020

FORMAÇÃO SOBRE COMUNICAÇÃO, REDES SOCIAIS A SERVIÇO DA EVENGELIZAÇÃO NA DIOCESE.

   

   Nos dias 09 e 10 de Novembro de 2020, ocorreu na Cidade de Zé Doca, MA um estudo sobre comunicação que teve por tema, Plano de comunicação e marketing digital: Pastoral da comunicação nas redes sociais católicas e sua importância na propagação da evangelização na Diocese de Zé Doca. Participaram do encontro Padre Josivaldo Rodrigues, que na ocasião foi nomeado representante da comunicação na Diocese, Padre André Brás, Irmã Sonia, IST, os seminaristas maiores Geovane e Jakson e teve por palestrante Dr. Fabiene de Jesus Ferreira.

   Nas primeiras horas da formação, foi apresentado à importância da comunicação por meios das redes sócias nos tempos atuais, foi estudado também as questões de direitos autorais de imagem e intelectual e as técnicas de combinação de cores, fontes e imagem para criar artes que chamem a atenção do leitor. Foi apresentado as redes sociais mais conhecidas e utilizadas no Brasil:


1º lugar: You Tube;

2º lugar: Facebook;

3° lugar: Whatsapp;

4º lugar: Instagram.

   O segundo momento da formação foi destinada a oficina de criação de cards entre os participantes, deste modo, foi iniciado a criação de um banco de imagens, muito importante para os trabalhos de publicação, neste foi orientado também o uso do brasão da diocese em todos os materiais produzidos e a importância de se dá os devidos creditos a textos de autoria de terceiros. No segundo dia, a oficina se estendeu as redes sociais da diocese, onde foram feitas alterações no facebook e no blogger e foi criado o instagram da diocese, previamente autorizado pelo bispo Dom João Kot, OMI.


   O objetivo é pregar a Boa Nova e os valores que a Igreja Mãe sempre trasmitiu, a fim de fidelizar pessoas, famílias e grupos sociais para a comunidade católica. 









Redação e imagens informativas por:  

Dr. Fabiene de Jesus Ferreira Pavão - Advogada graduada em Comunicação Social, habilitação em Publicidade e Propaganda

Créditos de imagens: 

Padre André Brás 

quarta-feira, 4 de novembro de 2020

COMEMORAÇÃO DE TODOS OS FIÉS DEFUNTOS DE 2020 NA DIOCESE DE ZÉ DOCA.



 EM CRISTO HÁ VIDA EM PLENITUDE! 


"Não hesitemos em socorrer os que partiram e em oferecer as nossas orações por eles” (Hom. 1Cor 41,15).

   A Comemoração dos Fiéis Falecidos é uma antiquíssima tradição da Igreja Católica, onde somos convidados a rezar por todos os fiéis falecidos no dia 2 de novembro! A todos os que morreram “no sinal da fé” a Igreja reserva um lugar importante na Liturgia: há uma lembrança diária na Missa, com o Memento (lembrança) dos mortos, e no Ofício divino. 

   No dia de Finados a Igreja autoriza que cada sacerdote possa celebrar três Missas em sufrágio das almas dos falecidos. Essa foi uma concessão do Papa Bento XV em 1915, quando durante a Primeira Guerra Mundial, julgou oportuno estender a toda Igreja este privilégio de que gozavam a Espanha, Portugal e a América Latina desde o séc. XVIII.

   Os primeiros vestígios de uma comemoração coletiva de todos os fiéis defuntos são encontrados em Sevilha (Espanha) no séc. VII e em Fulda (Alemanha) no séc. IX. A comemoração oficial dos falecidos é devida ao abade de Cluny, santo Odilon, em 998, mas, muito antes, em toda parte se celebrava a festa de todos os santos e o dia seguinte foi dedicado à memória dos fiéis falecidos. Mas o fato de que milhares de mosteiros beneditinos dependessem de Cluny favoreceu a ampla difusão da comemoração. Depois em Roma, em 1311, foi sancionada oficialmente a memória dos falecidos!

   Desde os primeiros séculos a Igreja reza pelos falecidos. No segundo livro de Macabeus, da Bíblia, encontramos esta recomendação: “É coisa santa e salutar lembrar-se de orar pelos defuntos, para que fiquem livres de seus pecados”. (2Mac 12,46)

   Este ano, mesmo em meio à pandemia, todas as Paróquias da Diocese de Zé Doca, celebraram o dia da Comemoração de todos os Fiéis Falecidos.





































segunda-feira, 2 de novembro de 2020

CARTA ÀS ASSEMBLEIAS FORÂNEAS DE PASTORAL DE 2020

 

Dom João Kot, OMI 

 Bispo de Zé Doca


“FIAT MISERICORDIA TUA”



CARTA ÀS ASSEMBLEIAS FORÂNEAS DE PASTORAL DE 2020

   Amados Filhos e Filhas: Padres, Religiosas, Religiosos e as Lideranças Leigas, saudações em Cristo Jesus envio. 

   Decidimos em 2017 que a nossa Assembleia    Diocesana de Pastoral será realizada a cada dois anos e entre uma e outra serão organizadas as Assembleias Forâneas de Pastoral. O objetivo principal desta modalidade foi e continua sendo, envolver mais as bases pastorais, melhorar a participação dos nossos líderes comunitários, do nosso povo e implantar melhor o nosso Plano Pastoral Diocesano. Na reunião do clero definimos assuntos que as foranias trabalharão nas assembleias em novembro de 2020: 

1. O documento da Santa Sé, a Instrução da Congregação para o Clero: A conversão pastoral da comunidade paroquial a serviço da missão evangelizadora da Igreja, será a motivação concreta e inspiradora para trabalhar os temas das assembleias (será mais uma vez enviado a todos os padres). 
2. Devem ser tratados e debatidos os seguintes temas (tudo em sintonia com o 6º Plano Pastoral da Diocese; também enviaremos o texto do mesmo):

 - Comunidades Eclesiais Missionárias e Grupos de Jesus (3ª objetivo e prioridade);

- Igreja ministerial – quais ministérios laicais devem ser incentivados, criados, quais são a necessidades reais das nossas paróquias? Escola Diocesana de Formação de Lideranças... (1º objetivo e prioridade);  

 - Jovens (2º objetivo e prioridade). O ponto não saiu na reunião do clero, mas está no nosso Plano Pastoral e acho que pode ser discutido e trabalhado, para sermos coerentes com nossos objetivos e prioridades.

3. Os resultados dos trabalhos das Assembleias Forâneas devem ser enviados à Cúria Diocesana, o mais rápido possível. Os relatórios devem informar quantos clérigos, religiosos e leigos participaram. As propostas, concretas e objetivas, agrupar pelos temas tratados. 

4. As Assembleias Forâneas, seguindo o Plano Pastoral da Diocese, podem sugerir o tema da próxima Assembleia Diocesana (2021): qual é o ponto que vocês acham prioritário a ser estudado e aprofundado? 

5. Como objetivo da Assembleia Forânea de Pastoral são os trabalhos futuros, peço que as Foranias se reúnam segundo a nova divisão, seguindo o Decreto Episcopal Nº 05/2020.

6. Que seja mantido o espírito de diocesaneidade: as foranias, no seu ambiente pastoral, realizam o Plano Pastoral da Diocese e se têm propostas novas encaminhem para o âmbito diocesano (o Bispo, o Conselho Diocesano de Pastoral ou esperem a próxima Assembleia Diocesana de Pastoral).  

   Desejo boas e frutíferas Assembleias Forâneas de Pastoral. A todos os participantes envio a minha bênção e prometo minhas orações. 

Dom João Kot, OMI 

Bispo Diocesano de Zé Doca

28 de outubro de 2020, Festa de São Simão e Judas Tadeu, Apóstolos.

    

6º PLANO DE PASTORAL  2019-2023


DIOCESE DE ZÉ DOCA





OBJETIVO GERAL 

   Criar e fortalecer Comunidades Eclesiais Missionárias enraizadas na Palavra de Deus, na vida sacramental e nas realidades da Diocese, tendo a missão como eixo fundamental. 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS E PRIORIDADES

FORMAÇÃO DISCIPULAR: Promover a formação discipular à luz da Palavra para as lideranças e agentes pastorais da Diocese:

Criar uma escola diocesana de formação para todas as lideranças leigas das Comunidades Eclesiais Missionárias; 

▪ Fortalecer e implementar as ações das pastorais sócias (Pastorais: Criança, Idoso, Sobriedade e outras); 

▪ Motivar a sinodalidade (caminhar juntos) a partir de escutas e vivências das assembleias diocesanas, forâneas, paroquias; reuniões forâneas (clero, religiosos (as) e lideranças leigas), formação dos conselhos paroquiais: de pastoral, economia, das comunidades e outros. 

CUIDADO COM OS JOVENS: Criar o Conselho Diocesano da Juventude (Setor da Juventude) para que os jovens assumam seu lugar e protagonismo na igreja e sociedade: 

▪ Dar continuidade com o Conselho Diocesano da Juventude (o Setor da Juventude) e desenvolver ações em conjunto com todas as expressões juvenis da Diocese; 

▪ Criar um programa diocesano, de atendimento existencial para a juventude, que oriente a vida humana, espiritual e profissional, dando um verdadeiro sentido à vida; 

▪ Realizar missões jovens nas Comunidades Eclesiais Missionárias promovendo o protagonismo juvenil a exemplo da Infância e Adolescência Missionária (IAM); 

▪ Acolher e incluir todas as expressões juvenis, oferecendo diferentes atividades (teatro, comunicação, danças, esportes, literatura e música) com diferentes profissionais; 

▪ Promover formação diocesana, a fim de despertar nos jovens maior interesse pelas vocações para os ministérios cristãos (vida sacerdotal, religiosa, ministérios laicais e outros); 

▪ Interagir a juventude com a catequese de iniciação à vida cristã visando a permanência deste nas Comunidades Eclesiais Missionárias.

 • COMUNIDADES ECLESIAIS MISSIONÁRIAS: Vivenciar nas Comunidades Eclesiais Missionárias a Palavra - Iniciação Catecumenal à vida Cristã e animação bíblica; o Pão - Liturgia e espiritualidade; a Caridade - serviço a vida plena; a Ação Missionária - estado permanente de missão para o fortalecimento da Comunidade Eclesial: 

▪ Criar e fortalecer os pequenos Grupos de Jesus para o estudo e a vivência do Evangelho (ano litúrgico) em ruas, bairros e comunidades, para o fortalecimento das Paróquias e Diocese; 

▪ Vivenciar a Palavra - Iniciação à vida Cristã e animação bíblica através do fortalecimento da Catequese com Inspiração Catecumenal; 

▪ Fortalecer a espiritualidade eucarística nas Comunidades Eclesiais Missionárias; 

▪ Incentivar a caridade através da solidariedade, fraternidade, partilha de bens e dons no serviço aos mais necessitados; 

▪ Motivar as visitas missionárias para anunciar o Evangelho de Jesus Cristo (Rm 10,14- 15).